domingo, 25 de dezembro de 2011

O formol é proibido para ser usado como alisante de cabelo, em qualquer concentração. Ele causa danos para os fios e malefícios à saúde quando inalado. Busque alternativas a essa substância.


As opções para mudar o visual dos cabelos são tantas, que muitas vezes as pessoas – principalmente as mulheres – aproveitam a ida ao salão de beleza ou uma tarde em casa para fazer mais de um procedimento.
Lavam, tingem, descolorem, alisam e relaxam os fios. Mas será que misturar esses processos pode danificá-los? Algumas mesclas de tratamentos ajudam a fortalecer as madeixas, enquanto outras podem prejudicá-las e muito.
Para explicar os prós e contras de dez combinações capilares diferentes, o Bem Estar desta terça-feira (25) contou com a presença da dermatologista Márcia Purceli e do químico especializado em cosméticos Celso Martins Júnior.
Os convidados falaram, ainda, sobre creme sem enxágue, escova e os riscos do uso de substâncias como formol, amônia, glutaraldeído e derivados de glioxal. Eles também destacaram que o cabelo cresce, em média, 1,5 centímetro por mês.
Segundo a consultora Márcia, o creme sem enxágue (leave-in) é interessante, mas a pessoa deve passá-lo de forma homogênea, ou seja, por todos os fios. Outra opção é escolher um bom corte para cabelos volumosos. Para isso, converse com um profissional.
Para quem gosta de fazer escova sempre, é necessário hidratar bem os fios e usar um creme termoprotetor antes de ligar o secador. Respeite uma distância mínima de 7 a 10 cm entre os cabelos e o aparelho.
E uma dica para as mulheres que não querem usar chapinha é criar cachos com a prancha, o que também pode ser feito com os clássicos bobs ou com rolos feitos nos dedos e presos por grampos durante alguns minutos.
Substâncias nocivas aos cabelos
Formol
O formol é proibido para ser usado como alisante de cabelo, em qualquer concentração. Ele causa danos para os fios e malefícios à saúde quando inalado. Busque alternativas a essa substância.
O formol tem seu uso permitido na legislação como conservante a 0,1% (em produtos de higiene oral) e 0,2% (em produtos não destinados à higiene oral); e como fortalecedor de unhas a 5%.
Por causa do uso indevido dessa substância, em 2009 foi publicada a resolução 36/09 contemplando a proibição, exposição, venda e entrega de formol ou de formaldeído (solução a 37%) em drogarias, farmácias, supermercados, lojas de conveniência e armazéns.
Porém, uma brecha legal permite que a fórmula de algumas categorias de cosméticos tenha até 0,2% de formol e até 0,1% de glutaraldeído, que não pode ser usado como alisante capilar e tem seu uso permitido apenas como conservante a 0,1%.
Amônia
Pode ser utilizada em produtos cosméticos, desde que respeitada a concentração máxima de 6%. No caso de produtos acima de 2%, deve ser declarada na rotulagem a presença da substância.

fonte de pesquisa globo.com



domingo, 18 de dezembro de 2011

Progressive brush, straighteners and formaldehydeFormaldehyde is a carcinogen, according to World Health OrganizationBrush is a progressive method of hair straightening, current fashion, as were the French Brush, the Japanese Straightening, the permanent straightening and more. The methods change names, but mean the same thing: hair straightening. The methods are not registered with ANVISA.
Straightening products used in these methods, must be registered and there are several brands and types in the Brazilian market that meet this requirement. When the product is unregistered, its composition was not evaluated and may contain substances banned or restricted use, conditions and inadequate or non-permitted concentrations, posing a risk to public health.The use of formaldehyde in hair straighteners is prohibited by ANVISA, for being unhealthy. The product can cause allergies, eye irritation, redness, tearing and dermatitis.ANVISA has received numerous reports of cases from the improper use of hair straighteners, which cause serious damage to health, such as burns on the scalp, partial or total drop of hair, corneal damage, respiratory problems and even death from anaphylactic shock.Beauty salons and hairdressers are using unscrupulous irregular products, adulterated by adding formaldehyde to the products ready for use. This "manipulation" is inadequate and irregular.The consumer, user of the services these businesses must be aware and look for only those professionals you trust. You should ask all the information about the product used in their hair. Remember that the straighteners have some smell, but the smell of formaldehyde is different because it is much stronger.The risks of formaldehyde- Contact with skin: Toxic. Causes irritation to skin, with redness, pain and burns.- Eye Contact: Causes irritation, redness, pain, tearing and blurred vision. High concentrations cause irreversible damage.- Inhalation: may cause cancer of the respiratory tract. May cause sore throat, irritation of the nose, cough, decreased respiratory rate, irritation and sensitization of the respiratory tract. It can also cause serious injuries in the airways, leading to pulmonary edema and pneumonia. Fatal in high concentrations.- Chronic Exposure: Frequent or prolonged exposure may cause hypersensitivity leading to dermatitis. Repeated or prolonged contact may cause allergic reaction, impairment of vision and enlargement of the liver.Source: National Agency for Sanitary Surveillance (www.anvisa.gov.br).

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Formol é cancerígeno



Escova progressiva, alisantes e formol
Formol é cancerígeno, segundo a Organização Mundial de Saúde
Escova Progressiva é um método de alisamento capilar, atual modismo, como foram a Escova Francesa, o Alisamento Japonês, a Escova Definitiva e etc. Os métodos mudam de nome, mas significam a mesma coisa: alisamento de cabelo. Os métodos não são registrados na Anvisa.
Os produtos alisantes, utilizados nestes métodos, devem ser registrados e existem diversas marcas e tipos no mercado brasileiro que atendem a esta exigência. Quando o produto não é registrado, sua composição não foi avaliada e pode conter substâncias proibidas ou de uso restrito, em condições e concentrações inadequadas ou não permitidas, acarretando riscos à saúde da população.
O uso de formol em alisantes capilares é proibido pela Anvisa, por ser prejudicial à saúde. O produto pode causar alergias, irritação aos olhos, vermelhidão, lacrimação e dermatites.
A Anvisa tem recebido inúmeras denúncias de casos ocorridos pelo uso indevido de alisantes, que causam sérios danos à saúde, como queimaduras no couro cabeludo, queda parcial ou total dos cabelos, lesões na córnea, problemas no trato respiratório e até morte por choque anafilático.
Salões de beleza e cabeleireiros inescrupulosos estão utilizando produtos irregulares, adulterados, acrescentando formol aos produtos prontos para o uso. Esta “manipulação” é inadequada e irregular.
O consumidor, usuário dos serviços desses estabelecimentos, deve ficar atento e procurar somente aqueles profissionais de sua confiança. Deve pedir todas as informações sobre o produto utilizado em seus cabelos. Lembre-se de que os alisantes têm algum cheiro, mas, o cheiro do formol é diferente por ser muito mais forte.
Os riscos do formol
- Contato com a pele: tóxico. Causa irritação à pele, com vermelhidão, dor e queimaduras.
- Contato com os olhos: causa irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão embaçada. Altas concentrações causam danos irreversíveis.
- Inalação: pode causar câncer no aparelho respiratório. Pode causar dor de garganta, irritação do nariz, tosse, diminuição da freqüência respiratória, irritação e sensibilização do trato respiratório. Pode ainda causar graves ferimentos nas vias respiratórias, levando ao edema pulmonar e pneumonia. Fatal em altas concentrações.
- Exposição crônica: a freqüente ou prolongada exposição pode causar hipersensibilidade, levando às dermatites. O contato repetido ou prolongado pode causar reação alérgica, debilitação da visão e aumento do fígado.
Fonte: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (www.anvisa.gov.br).

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Gente vamos denunciar aqui os profissionais que usam químicas proibidas

Pessoal Vamos agir, devido a fraca fiscalização, venho pedir para que postem aqui os locais que você conhece que usam formol, glutaraldeido , e outras  substancias proibidas pela Anvisa.
vamos fazer essa corrente e lutar para que parem de enganar ao consumidor.
Muitas vezes você que usa essas químicas só denunciam os salões e profissionais, quando algo acontece com você, não deixe que aconteça algo de ruim com você, participe dessa corrente e peça para o seu cabeleireiro mudar para um produto legalizado.
Então para incentivar aqui na minha rua tem 8 salões, e todos eles usam formol na cara de pal e dizem que tem 0,02% de formol, e é permitido. Que mentira, essa quantidade de formol não faz nada, não alisa, não da brilho, e nem reduz o volume.
Agora é a sua vez de botar a boca no trombone, fala ai.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Lyon

Le formel est une menace pour tous ceux qui le cherchent.
Les clients courent le risque d'une réaction allergique, et de mauvais professionnels, de respirer des gaz toxiques.
Il est un indice, en choisissant un lissage, rechercher coiffeurs qualifiés.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Antes e depois de Equalize. Sem formol.

Passo a passo
Equalize fez uma demonstração especial para o nosso blog. A melhor escova sem formol.

1º O cabelo sem química deve ser relaxado, ou colorido,
o importante á ter química.Nesta  caso vamos relaxar.
Neste caso podemos ver que a rais é bem resistente, e por não conter química, a Equalize só iria hidratar, mas não queremos só hidratar.
Então mãos á obra, para o relaxamento, iremos usar tioglicolato de amônio.
Faça uma analise, pra ver, a saúde dos fios, elasticidade, e resistência, dependendo do resultado, é aconselha-se faze um tratamento. 
Após o relaxamento, neutralize.






2º Primeiro passo do sistema de redução de volume.
Lave os cabelos com Equalize shampoo, se for preciso repita a aplicação.
É importante que se retire muito bem o shampoo, quando não tiver mais resíduo, você deverá enxugar os cabelos com uma toalha.

3º Desembarace os cabelos com um pente largo, em seguida seque com o secador.



4º com um pincel e um pente, comece a aplicar Equalize gel pela nuca, aplique com o pincel, e depois penteie, para que os fios fiquem mais alinhados.
Após a aplicação, deixe agir de 10 à 15 minutos.
5º Passado o tempo de pausa, faça uma escova (bem Lisa).
6º Em mechas finas e transparentes, passe a prancha de 10 à 15 vezes, deixe o cabelo esfriar, em seguida lave novamente com Equalize shampoo.







7º hidrate os cabelos com Cristal Hypnotic Mask, uma recuperação profunda dos fios por 15 minutos.
8º Agora é só secar os cabelos com secador.



Resultado: Sem volume, sedoso, brilhos, e e com saúde.








.

sábado, 16 de julho de 2011

Saúde e beleza

 Mais da metade dos alisantes capilares disponíveis no comércio ou usados em salões de beleza de São Paulo contêm excesso de substâncias que põem em risco a saúde dos consumidores, podendo causar queimaduras, queda de cabelo, ferimentos nas vias respiratórias e até câncer. É o que revela balanço inédito da Secretaria de Estado da Saúde a partir de análises realizadas pelo Instituto Adolfo Lutz, órgão da pasta. 



Foram avaliadas 38 amostras de alisantes coletados na cidade de São Paulo entre 2003 e 2007 e encaminhadas pela vigilância sanitária, Procon e Instituto de Criminalística. Desse total, 20 (52,63%) estavam em desacordo com a legislação em relação ao teor de princípio ativo.


O estudo apontou, ainda, que 21% dos alisantes continham altos teores de formol, substância irritante e de potencial cancerígeno. O uso de formoaldeído em formulações cosméticas só é permitido como conservante e em concentração máxima de 0,2% por 100 gramas. Os alisantes irregulares apresentavam concentrações entre 2,01% e 10,98%, podendo causar irritações, queimaduras na pele e danos irreversíveis nos olhos e nos cabelos. 


Das amostras analisadas pelo Adolfo Lutz, 26,3% também continham teores de hidróxido de sódio acima do limite permitido, que é de 4,5%. Os níveis encontrados nos produtos irregulares variaram de 4,91% a 12,58%. Altas concentrações de hidróxido de sódio podem causar queimaduras, quebra do fio capilar e queda de cabelo.


“Os alisantes de cabelo, quando usados de forma inadequada, podem acarretar sérios danos à saúde do consumidor, especialmente os produtos com concentrações acima do máximo permitido”, afirma a química Maria Cristina Santa Bárbara, pesquisadora do Lutz responsável pelo estudo.
Autoria: Assessoria de Imprensa - 17/07/08

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Por que você merece ganhar R$ 150,00 de desconto, na Equalize



Deixe um comentário aqui e concorra a um tratamento com a escova Equalize. 

Regulamento.
  1 O valor de R$ 150,00, reference a um desconto, tendo assim a sorteada, que pagar a diferença em dinheiro.
2 A diferença é cobrada em base da quantidade de cabelo que tem a cliente sorteada.
3 O critério do sorteio, é de que o melhor comentário será sorteado.
4 A promoção será encerrada no dia 25/07/2011
5 O prazo para a execução do Serviços, é 5 dias uteis.
6 Promoção para residentes no Rio das Pedras (Rio de Janeiro).
                                           7 Equalize é um tratamento, o resultado liso depende de mais de uma aplicação.
                                           8 Forneça pelo mensos dois meios de contato, email ou celular.
Boa sorte.

sábado, 9 de julho de 2011

15 anos de cadeia, para que for pego usando formol.

Os profissionais, e proprientários, que forem pegos, fazendo uso de formol, podem pegar até 15 anos de prisão.
As abordagens de profissionis, a clientes para fazer escovas de formol, estão com os dias contados.
A FDA, agência americana que regula medicamentos, classificou o formol como cancerígeno. Clientes e principalmente profissionais correm risco de ter tumores nas vias aéreas, como nariz e garganta.
Fiscalizar´é o grande problema, pois as mulheres que são adeptas do produto, não fazem as denuncias.
Quem for pego usando formol, sera deitido por crime de adulteração de medicammentos, e cosméticos previsto no artigo 273 do Código Penal, sem direito a fiança.

sábado, 21 de maio de 2011

Papo de cabeleireiro: Nós testamos

Papo de cabeleireiro: Nós testamos: "Nosso primeiro teste, foi com a nova escova sem formol da Ponto 9 a Equalize O produto foi testado, e resultado foi surpreendente. Testamos..."

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Novo vilão alia-se ao formol.

Perigo, um novo vilão chegou para aliar-se oa formol.
Como principio ativo, seu nome é Glutarol, tão perigoso quanto, o formol, ele também é prejudicial, e cancerigeno, e tem apelidos como, Glutaroldeído, ou glutamina. Então tome muito cuidado, com o Gluta..., você pode esta prejudicando, a sua saúde.

A escova inteligente, a marroquina, ou turmalina, são tão inteligentes assim?
Ao contrário das escovas progressivas tradicionais, que utilizam o formol, a Escova Inteligente emprega em sua formulação o glutaraldeído. Acontece que o Glutaraldeído é também é venenoso.
Nos alisamentos ilegais já foi denunciado o uso do formol, substância considerada cancerígena pela Organização Mundial de Saúde, apresentando risco para os profissionais e usuários quando inalado ou em exposição prolongada. Agora uma nova substância surge como veneno nos processos de alisamentos.
O Glutaraldeído, um dialdeído saturado, tem sido utilizado por permitir a impermeabilização dos fios. Com esta substância, também usada em desinfetantes e esterilizantes ambulatoriais e hospitalares, a escova é conservada, deixando os fios lisos por mais tempo. O também chamado glutaral é ainda mais tóxico que o formol, sendo o principal causador de intoxicação, queimação do couro cabeludo, entre outras consequências.
"É importante dizer que os fios dos cabelos fazem parte da composição do corpo humano, e tal qual sofrem também com a aplicação de suas substâncias", diz Bruno Di Maglio. "Esses malefícios dão justamente os resultados mais temidos pelas mulheres: cabeleiras sem brilho, enfraquecidas, quebradiças e totalmente ressecadas", acrescenta.
O Glutaraldeído, portanto, age de forma maléfica nos fios, prejudicando-os e representando perigo para a saúde das pessoas que se submetem a técnica e aos profissionais que a aplicam.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Mais uma votória dos bons profissionais, que não usam alisantes proibidos.

Produtos tinham concentração de formol quase 200% maior do que o permitido


Ceilândia (DF) – A polícia fechou na tarde de quinta-feira uma fábrica clandestina de cosméticos que funcionava em Ceilândia, cidade-satélite do Distrito Federal. As autoridades chegaram até a fábrica pela denúncia de duas mulheres, que perderam os cabelos após fazerem uma escova progressiva com o produto fabricado na falsa indústria.
No local, foram apreendidos 60 litros de formol, cremes, xampus, embalagens vazias e rótulos. Os donos da fábrica clandestina adulteravam os cosméticos e falsificavam os rótulos, inserindo o número de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  Os produtos clandestinos fabricados pela fábrica tinham uma concentração de formol de até 40%, quando o permitido pela lei é 0,2%.
Foto: Reprodução Vídeo
Embalagens guardadas na fábrica que iriam receber os produtos adulterados | Foto: Reprodução Vídeo
Em seguida, os produtos eram vendidos para salões de beleza da região. No local, três pessoas foram presas. A polícia desconfia que elas atuavam há pelo menos 1 ano e meio no negócio clandestino.
Sobre a quantidade de formol encontrada no local, a polícia suspeita que o produto era fornecido por funerárias, já que a venda da substância é altamente controlada.
Os envolvidos podem pegar até 15 anos de prisão.




Faça a sua parte e denuncie, os fabricantes ilegais.

Viver, ou morrer pelos cabelos lisos?

FORMOL: Verdades e Mentiras Obrigado pela avaliação!
Os perigos do uso de formol na escova progressiva


Alisar e amaciar os cabelos é o sonho de toda mulher, que deseja estar sempre bela. Para alcançar esse objetivo as clientes não medem esforços, porém o sonho pode virar pesadelo. Por isso, todo cuidado é pouco para manter a beleza dos fios sem danificá-los.


Esta foi uma das razões que colocou a escova progressiva sob suspeita e contribuiu para que esse tratamento capilar fosse condenado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por conter formol em concentrações elevadas, que associado com o calor do secador gera vapores de formol altamente penetrantes, causando danos à saúde.


Os profissionais cabeleireiros desconhecem o risco que estão correndo além da possibilidade de haver no salão pessoas com algum tipo de problema, como deficiência respiratória, hipersensibilidade ao formol, olhos que passaram recentemente por cirurgias etc., que poderão vir a sofrer graves conseqüências ao entrar em contato com esses vapores, inclusive um choque anafilático que pode levar à morte por asfixia.


O formol é tóxico quando ingerido, inalado ou quando entra em contato com a pele. Sob a forma de gás é mais perigoso e causa rapidamente irritação nos olhos. É considerado um agente potencialmente cancerígeno pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A inalação pode causar dor de cabeça, tosse, falta de ar e vertigem, entre outros sintomas. Em contato com a pele, causa vermelhidão e sensação de dormência. Pode causar dor de garganta e visão embaçada.


A Anvisa regulamenta os produtos cosméticos com o único objetivo de proteger a saúde dos usuários, portanto, até que se prove o contrário, o formol em percentual elevado, acima de 0,2%, não deverá conseguir registro junto ao Ministério da Saúde. Os agentes de saúde não podem ser coniventes com os danos que este produto pode vir a causar em pessoas desavisadas.


Para tentar esclarecer melhor sobre o assunto, segue abaixo algumas dúvidas mais comuns dos profissionais cabeleireiros, enviadas à redação da Cabeleireiros.com.




O que é formol e porque as escovas progressivas com ele são condenadas?


O formol ou formaldeído é uma substância utilizada para a conservação de outras substâncias e até de tecidos, utilizado principalmente em biópsias para impedir a degradação antes da análise. Por ser facilmente absorvido pelas mucosas pode ocasionar problemas sérios para a saúde da cliente e do profissional cabeleireiro. Por isso a condenação do uso de formol na escova progressiva. Além de causar danos à saúde, danifica a cutícula dos cabelos, que é a parte mais externa dos fios, e deixa o córtex, a parte interna, bastante vulnerável ao ressecamento e perda da cor.


Qual a quantidade de formol liberada pela Anvisa?


A quantidade é de 0,2%, com a função de conservante.


Comenta-se que algumas empresas estão conseguindo o registro de escova progressiva com uso de formol. Isto é verdadeiro?


Não. Algumas empresas utilizam o ácido fórmico somente para estabilizar o pH dos seus produtos, o que é permitido pela Anvisa. Acontece que alguns cabeleireiros, inescrupulosamente, misturam a estes produtos quantidades elevadas de formol, para atingir o objetivo de uma escova progressiva, o que se torna proibido pela Anvisa.


É verdade que o fio de cabelo pode ficar endurecido após várias aplicações?


Sim. O formol solubiliza óleos e, portanto, dissolve o cimento intercelular e a membrana celular que envolve as fibras de queratina tornando-as desprotegidas. A ausência desses componentes oleosos torna os cabelos endurecidos, sem maleabilidade e sem brilho.


Quem já usou produtos com formol, o que pode/deve fazer para recuperar a fibra?


O ideal é que sejam feitas diversas sessões de hidratação e que se utilize uma linha de manutenção rica em proteínas e ativos emolientes e condicionantes.


Como o consumidor pode se prevenir para não ser enganado quando for ao salão de beleza fazer escova progressiva?


O cheiro de formol é inconfundível e os olhos lacrimejam, a garganta e as narinas ficam irritadas e muitas pessoas começam a tossir. Sob a ação do calor, os vapores de formol se formam imediatamente e ocupam todo o espaço do salão.


Constatamos que em alguns salões pessoas estavam misturando formol, queratina e cremes e aplicando nas clientes. Qual sua opinião?


A cliente não deve permitir que isso aconteça, pois além dos perigos já citados, o formol forma um filme vítreo sobre o fio de cabelo e a proteína fica retida na superfície sendo responsável pelo brilho imediato, porém, logo nas primeiras lavadas esse filme é removido e, com ele, todos os nutrientes que estavam aprisionados no filme formado pelo formol, restando apenas as fibras de queratina totalmente desprotegidas.





Fique por dentro, profissional cabeleireiro, das recomendações da Anvisa:


Escova Progressiva, os Alisantes e o Formol


Escova progressiva é um método de alisamento capilar, e atual modismo, como foi a Escova Francesa, o Alisamento Japonês, a Escova Definitiva etc. Os métodos mudam de nome, mas significam a mesma coisa: alisamento de cabelo.


Os métodos não são registrados na Anvisa. Os produtos alisantes nestes métodos devem ser registrados e existem diversas marcas e tipos no mercado que atendem a esta exigência.


Aos desavisados freqüentadores de salões de beleza o que pode parecer uma solução milagrosa, para pôr fim aos cabelos crespos, para a saúde é uma grande ameaça. Em relação às denúncias envolvendo os riscos de alisantes clandestinos, produzidos a partir de concentrações elevadas de formol, principalmente no Rio de Janeiro, a Anvisa alerta sobre a necessidade de o consumidor tomar alguns cuidados básicos na escolha e uso desses produtos, considerados de risco potencial, por conter substâncias tóxicas que exigem controle rigoroso.


Quando o produto não é registrado, sua composição não foi avaliada e pode conter substâncias proibidas, ou de uso restrito, em condições e concentrações inadequadas, ou não permitidas, acarretando riscos à saúde da população.


O uso de formol, ácido fórmico, em alisantes capilares é proibido pela Anvisa, por ser prejudicial à saúde. Este ácido pode causar alergias, irritação aos olhos, vermelhidão, lacrimação e dermatites.


A Anvisa tem recebido inúmeras denúncias de casos ocorridos pelo uso indevido de alisantes, que causam sérios danos à saúde, como queimaduras no couro cabeludo, queda parcial ou total dos cabelos, lesões na córnea, problemas no trato respiratório e até morte por choque anafilático.


Salões de beleza e cabeleireiros inescrupulosos estão utilizando produtos irregulares, adulterados, acrescentando formol aos produtos prontos para o uso. Esta “manipulação” é inadequada e irregular.


O consumidor, usuário de serviços desses estabelecimentos, deve ficar atento e procurar somente aqueles profissionais de sua confiança. Deve pedir todas as informações sobre o produto utilizado em seus cabelos. Lembre-se de que os alisantes têm algum cheiro, mas, o cheiro de formol é diferente por ser muito mais forte.




Os riscos do Formol:


Contato com a pele (couro cabeludo) - Tóxico. Causa irritação à pele, dor e queimaduras.


Contato com os olhos - Causa irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão embaçada. Altas concentrações causam danos irreversíveis


Inalação - Pode causar câncer no aparelho respiratório. Pode causar dor de garganta, irritação do nariz, tosse, diminuição da freqüência respiratória, irritação e sensibilização do trato respiratório. Pode ainda causar graves ferimentos nas vias respiratórias, levando ao edema pulmonar e pneumonia. Fatal em altas concentrações.


Exposição crônica - A freqüente ou prolongada exposição pode causar hipersensibilidade, levando às dermatites. O contato repetido ou prolongado pode causar reação alérgica, debilitação da visão e aumento do fígado.


Fonte: Texto extraído do site da Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária http://www.anvisa.gov.br/




Matéria da revista Cabeleireiros.com
FORMOL: Verdades e Mentiras Obrigado pela avaliação!
Os perigos do uso de formol na escova progressiva

Alisar e amaciar os cabelos é o sonho de toda mulher, que deseja estar sempre bela. Para alcançar esse objetivo as clientes não medem esforços, porém o sonho pode virar pesadelo. Por isso, todo cuidado é pouco para manter a beleza dos fios sem danificá-los.

Esta foi uma das razões que colocou a escova progressiva sob suspeita e contribuiu para que esse tratamento capilar fosse condenado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por conter formol em concentrações elevadas, que associado com o calor do secador gera vapores de formol altamente penetrantes, causando danos à saúde.

Os profissionais cabeleireiros desconhecem o risco que estão correndo além da possibilidade de haver no salão pessoas com algum tipo de problema, como deficiência respiratória, hipersensibilidade ao formol, olhos que passaram recentemente por cirurgias etc., que poderão vir a sofrer graves conseqüências ao entrar em contato com esses vapores, inclusive um choque anafilático que pode levar à morte por asfixia.

O formol é tóxico quando ingerido, inalado ou quando entra em contato com a pele. Sob a forma de gás é mais perigoso e causa rapidamente irritação nos olhos. É considerado um agente potencialmente cancerígeno pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A inalação pode causar dor de cabeça, tosse, falta de ar e vertigem, entre outros sintomas. Em contato com a pele, causa vermelhidão e sensação de dormência. Pode causar dor de garganta e visão embaçada.

A Anvisa regulamenta os produtos cosméticos com o único objetivo de proteger a saúde dos usuários, portanto, até que se prove o contrário, o formol em percentual elevado, acima de 0,2%, não deverá conseguir registro junto ao Ministério da Saúde. Os agentes de saúde não podem ser coniventes com os danos que este produto pode vir a causar em pessoas desavisadas.

Para tentar esclarecer melhor sobre o assunto, segue abaixo algumas dúvidas mais comuns dos profissionais cabeleireiros, enviadas à redação da Cabeleireiros.com.


O que é formol e porque as escovas progressivas com ele são condenadas?

O formol ou formaldeído é uma substância utilizada para a conservação de outras substâncias e até de tecidos, utilizado principalmente em biópsias para impedir a degradação antes da análise. Por ser facilmente absorvido pelas mucosas pode ocasionar problemas sérios para a saúde da cliente e do profissional cabeleireiro. Por isso a condenação do uso de formol na escova progressiva. Além de causar danos à saúde, danifica a cutícula dos cabelos, que é a parte mais externa dos fios, e deixa o córtex, a parte interna, bastante vulnerável ao ressecamento e perda da cor.

Qual a quantidade de formol liberada pela Anvisa?

A quantidade é de 0,2%, com a função de conservante.

Comenta-se que algumas empresas estão conseguindo o registro de escova progressiva com uso de formol. Isto é verdadeiro?

Não. Algumas empresas utilizam o ácido fórmico somente para estabilizar o pH dos seus produtos, o que é permitido pela Anvisa. Acontece que alguns cabeleireiros, inescrupulosamente, misturam a estes produtos quantidades elevadas de formol, para atingir o objetivo de uma escova progressiva, o que se torna proibido pela Anvisa.

É verdade que o fio de cabelo pode ficar endurecido após várias aplicações?

Sim. O formol solubiliza óleos e, portanto, dissolve o cimento intercelular e a membrana celular que envolve as fibras de queratina tornando-as desprotegidas. A ausência desses componentes oleosos torna os cabelos endurecidos, sem maleabilidade e sem brilho.

Quem já usou produtos com formol, o que pode/deve fazer para recuperar a fibra?

O ideal é que sejam feitas diversas sessões de hidratação e que se utilize uma linha de manutenção rica em proteínas e ativos emolientes e condicionantes.

Como o consumidor pode se prevenir para não ser enganado quando for ao salão de beleza fazer escova progressiva?

O cheiro de formol é inconfundível e os olhos lacrimejam, a garganta e as narinas ficam irritadas e muitas pessoas começam a tossir. Sob a ação do calor, os vapores de formol se formam imediatamente e ocupam todo o espaço do salão.

Constatamos que em alguns salões pessoas estavam misturando formol, queratina e cremes e aplicando nas clientes. Qual sua opinião?

A cliente não deve permitir que isso aconteça, pois além dos perigos já citados, o formol forma um filme vítreo sobre o fio de cabelo e a proteína fica retida na superfície sendo responsável pelo brilho imediato, porém, logo nas primeiras lavadas esse filme é removido e, com ele, todos os nutrientes que estavam aprisionados no filme formado pelo formol, restando apenas as fibras de queratina totalmente desprotegidas.



Fique por dentro, profissional cabeleireiro, das recomendações da Anvisa:

Escova Progressiva, os Alisantes e o Formol

Escova progressiva é um método de alisamento capilar, e atual modismo, como foi a Escova Francesa, o Alisamento Japonês, a Escova Definitiva etc. Os métodos mudam de nome, mas significam a mesma coisa: alisamento de cabelo.

Os métodos não são registrados na Anvisa. Os produtos alisantes nestes métodos devem ser registrados e existem diversas marcas e tipos no mercado que atendem a esta exigência.

Aos desavisados freqüentadores de salões de beleza o que pode parecer uma solução milagrosa, para pôr fim aos cabelos crespos, para a saúde é uma grande ameaça. Em relação às denúncias envolvendo os riscos de alisantes clandestinos, produzidos a partir de concentrações elevadas de formol, principalmente no Rio de Janeiro, a Anvisa alerta sobre a necessidade de o consumidor tomar alguns cuidados básicos na escolha e uso desses produtos, considerados de risco potencial, por conter substâncias tóxicas que exigem controle rigoroso.

Quando o produto não é registrado, sua composição não foi avaliada e pode conter substâncias proibidas, ou de uso restrito, em condições e concentrações inadequadas, ou não permitidas, acarretando riscos à saúde da população.

O uso de formol, ácido fórmico, em alisantes capilares é proibido pela Anvisa, por ser prejudicial à saúde. Este ácido pode causar alergias, irritação aos olhos, vermelhidão, lacrimação e dermatites.

A Anvisa tem recebido inúmeras denúncias de casos ocorridos pelo uso indevido de alisantes, que causam sérios danos à saúde, como queimaduras no couro cabeludo, queda parcial ou total dos cabelos, lesões na córnea, problemas no trato respiratório e até morte por choque anafilático.

Salões de beleza e cabeleireiros inescrupulosos estão utilizando produtos irregulares, adulterados, acrescentando formol aos produtos prontos para o uso. Esta “manipulação” é inadequada e irregular.

O consumidor, usuário de serviços desses estabelecimentos, deve ficar atento e procurar somente aqueles profissionais de sua confiança. Deve pedir todas as informações sobre o produto utilizado em seus cabelos. Lembre-se de que os alisantes têm algum cheiro, mas, o cheiro de formol é diferente por ser muito mais forte.


Os riscos do Formol:

Contato com a pele (couro cabeludo) - Tóxico. Causa irritação à pele, dor e queimaduras.

Contato com os olhos - Causa irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão embaçada. Altas concentrações causam danos irreversíveis

Inalação - Pode causar câncer no aparelho respiratório. Pode causar dor de garganta, irritação do nariz, tosse, diminuição da freqüência respiratória, irritação e sensibilização do trato respiratório. Pode ainda causar graves ferimentos nas vias respiratórias, levando ao edema pulmonar e pneumonia. Fatal em altas concentrações.

Exposição crônica - A freqüente ou prolongada exposição pode causar hipersensibilidade, levando às dermatites. O contato repetido ou prolongado pode causar reação alérgica, debilitação da visão e aumento do fígado.

Fonte: Texto extraído do site da Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária
http://www.anvisa.gov.br/



Matéria da revista Cabeleireiros.com

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Papo de cabeleireiro: Dica de beleza

Papo de cabeleireiro: Dica de beleza: "Para um visual de top model. Para um visual estilo Gise... muitas pessoas procuram todos os dias ter o visual daquela top famosa.Nós pesqui..."

quinta-feira, 31 de março de 2011

Escova sem formol

Chegou a Equalize sem formol, para gestantes e crianças,sistema de reduçãode volume, que com a repetição do procedimento, alisa os cabelos progressivamente, e o melhor de tudo 0% de formol.



Você encontra esta novidade na nossa pagina de contato e cdastro de nossos profissionais.

YouTube - Equalize Ponto 9 - Marcuzzo Cosméticos

YouTube - Equalize Ponto 9 - Marcuzzo Cosméticos

quarta-feira, 30 de março de 2011

Formol e Glutaraldeído são iguais e oferecem o mesmo risco.

Formol e Glutaraldeído como alisantes – Diga NÃO ao Uso Indevidoatualizado em 3/7/2009

Recentemente, foi publicada a Resolução RDC 36, de 17 de junho de 2009, que proíbe a comercialização do formol em estabelecimentos como drogarias, farmácias, supermercados, empórios, lojas de conveniências e drugstores. A finalidade dessa Resolução é restringir o acesso da população ao formol, coibindo o desvio de uso do formol como alisante capilar, protegendo a saúde de profissionais cabeleireiros e consumidores. Dados recebidos pela Anvisa mostram que as notificações de danos causados por produtos para alisamento capilar triplicaram no 1º semestre de 2009 em comparação com todo o ano de 2008, sendo que na maioria dos casos há suspeita do uso indevido de formol (e também de glutaraldeído) como substâncias alisantes.

O uso do formol como alisante capilar NÃO é permitido pela Anvisa, pois esse desvio de uso pode causar sérios danos ao usuário do produto e ao profissional que aplica o produto, tais como: irritação, coceira, queimadura, inchaço, descamação e vermelhidão do couro cabeludo, queda do cabelo, ardência e lacrimejamento dos olhos, falta de ar, tosse, dor de cabeça, ardência e coceira no nariz, devido ao contato direto com a pele ou com vapor. Várias exposições podem causar também boca amarga, dores de barriga, enjôos, vômitos, desmaios, feridas na boca, narina e olhos, e câncer nas vias aéreas superiores (nariz, faringe, laringe, traquéia e brônquios), podendo até levar a morte. Para saber mais, acesse o material disponível em nossa página sobre Formol e Alisantes.

Recentemente, a Anvisa também tem sido questionada quanto ao uso de glutaraldeído ou glutaral, que, devido a sua semelhança química com o formol, apresenta também os mesmos riscos e restrições.

É importante esclarecer que o que está proibido é o desvio de uso dessas substâncias. A legislação sanitária permite o uso de formol e glutaraldeído em produtos cosméticos capilares apenas na função de conservantes (com limite máximo de 0,2% e 0,1%, respectivamente), durante a fabricação do produto, somente. A adição de formol, glutaraldeído ou qualquer outra substância a um produto acabado, pronto para uso, constitui infração sanitária, estando o estabelecimento que adota esta prática sujeito às sanções administrativas, cíveis e penais cabíveis, sendo que adulteração desses produtos configura crime hediondo.

Lembramos que somente os produtos definidos como cosméticos estão sujeitos às normativas vigentes para cosméticos.
Como alisar os cabelos de forma segura
Os produtos alisantes devem ser registrados na Anvisa. Existem substâncias ativas específicas com propriedades alisantes como ácido tioglicólico, hidróxido de sódio, hidróxido de potássio, hidróxido de cálcio, hidróxido de lítio, hidróxido de guanidina permitidas pela legislação. Substâncias como formol e glutaraldeído NÃO são permitidos como alisantes. Por isso, antes de alisar os cabelos, verifique na própria embalagem se o produto a ser utilizado está registrado na Anvisa. Produtos que foram notificados possuem a inscrição “343/05” na embalagem e não podem ser indicados para alisamento capilar.
Os produtos cosméticos registrados devem obrigatoriamente estampar, na sua embalagem externa, o número de registro, que sempre começa pelo número 2, e sempre terá ou 9 ou 13 dígitos (exemplo: 2.3456.9409 ou 2.3456.9409-0001). Esse número de registro é geralmente precedido pelas siglas “Reg. MS” ou “Reg. Anvisa”, o que significa a mesma coisa.
Antes de usar o produto, é importante ler e seguir as instruções de uso do produto e ler atentamente as precauções de uso e advertências que constam na embalagem.
É possível consultar os produtos cosméticos registrados acessando o link http://www7.anvisa.gov.br/datavisa/Consulta_Produto/consulta_cosmetico.asp (preencha o campo “nome produto” ou “número de registro”, de preferência). Em caso de dúvidas ou denúncias, entre em contato conosco pelo e-mail: cosmeticos@anvisa.gov.br. Para efetuar denúncias sobre suspeita ou produtos irregulares, consulte também a Vigilância Sanitária de sua cidade. Em caso de suspeita de reações adversas causadas pelo uso de cosméticos, envie o relato para o e-mail cosmetovigilancia@anvisa.gov.br.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Papo de cabeleireiro: Attention

Papo de cabeleireiro: Attention: "If you go to Brazil, watching the world cup in 2014, you will need to take care of the appearance, then time to cut the hair, a brush, look ..."

Attention

If you go to Brazil, watching the world cup in 2014, you will need to take care of the appearance, then time to cut the hair, a brush, look for Milton hairdresser.
Avenue of the Americas No. 679 room 106. Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, Brazil.
Phone (21) 9997-1477

domingo, 13 de março de 2011

Saiba como prevenir danos aos cabelos


Como ocorrem os danos aos cabelos?
Para ter cabelos saudáveis e bonitos são necessários cuidados tão importantes como os cuidados com a sua pele. A melhor maneira de prevenir e reparar as agressões aos cabelos é entender como ocorrem os danos.
Os danos aos cabelos resultam de traumas mecânicos e químicos que alteram as estruturas físicas do cabelo. O cabelo tem três camadas básicas, a cutícula, o córtex e a medula. A cutícula é camada mais externa da escala de proteção. É a principal estrutura do cabelo e é responsável pela força, brilho, textura, maciez e maleabilidade dos fios. Existe também uma camada de sebo, uma substância oleosa secretada pelos folículos capilares, que recobre a cutícula e adiciona brilho e maleabilidade ao cabelo. O córtex fornece força ao eixo do cabelo, e determina a cor e a textura. A medula é a camada mais interna do cabelo onde são determinados o corpo e a força do cabelo.
A cutícula pode ser lesada por meios químicos ou mecânicos, como descoloração ou secadores de cabelos. Os fatores ambientais, como exposição à luz solar, poluição, vento, água do mar ou de piscina também podem causar danos. Quando a cutícula é agredida por esses fatores, a proteção é diminuída e as outras camadas do cabelo são expostas. Em alguns casos, até mesmo a camada mais interna, a medula, é exposta e pode sofrer danos.


Há quatro fatores que são muito importantes para um cabelo saudável: brilho, eletricidade estática, força e exposição solar.

Brilho

Cabelo brilhante sempre foi comparado com cabelo saudável, mesmo que a saúde de um folículo capilar não possa ser determinada devido a sua localização dentro do couro cabeludo. Esse brilho é devido à luz refletida por uma superfície lisa. Se as cutículas estão abertas, em conseqüência das agressões citadas acima, os fios não retêm água nem proteínas e a superfície do fio de cabelo fica porosa, não refletindo a luz.
Condicionadores contento agentes que formam uma película sobre o fio podem aumentar o brilho dos cabelos e ajudar as camadas de cutículas a cobrirem o eixo dos cabelos dando uma aparência mais lisa ao cabelo.

Eletricidade estática

Pentear ou escovar o cabelo faz com que os fios se tornem carregados negativamente, criando eletricidade estática e deixando os fios arrepiados. Cabelos finos são mais suscetíveis à eletricidade estática que os cabelos mais grossos devido à maior área de superfície da cutícula. Os condicionadores que contêm amônia quaternária podem reduzir a eletricidade estática por produzirem uma carga positiva nos fios, neutralizando a eletricidade estática.

Força

Condicionadores com ingredientes como proteínas hidrolisadas ou keratina capilar humana hidrolisada, que possuem um baixo peso molecular, ajudam a aumentar a força dos cabelos. Elas penetram facilmente nos fios, nutrindo-os.
Estas proteínas também podem ser usadas para as "pontas duplas". As "pontas duplas" ocorrem depois que a cutícula protetora foi desnudada das fibras do cabelo em conseqüência de substância química ou trauma físico, mas também pode ser um resultado de escovação vigorosa. Enquanto não há nenhum meio de reverter as "pontas duplas", aparar as pontas a cada 2 ou 3 meses e tratamentos de condicionamento profundo ajudam a manter os fios flexíveis e com boa aparência.

Exposição solar

A exposição aos raios UV pode induzir a oxidação das moléculas de enxofre dentro do eixo capilar, que são importantes para a força dos cabelos. Quando ocorre essa oxidação, os cabelos de tornam quebradiços, ressecados e ásperos.
Os cabelos descoloridos ou com luzes podem também apresentar pequenas mudanças de cor quando expostos aos raios UV. O cabelo loiro pode desenvolver um "fotodescoloramento", deixando-os amarelados. Até mesmo os cabelos castanhos podem mudar de cor, tendem a desenvolver uma coloração avermelhada devido à oxidação dos pigmentos de melanina.
Para proteger seus cabelos dos danos causados pelos raios solares, procure usar condicionadores "leave-in" que contenham óxido nítrico. Outra proteção são os bonés e chapéus feitos de materiais sólidos.


  • Use sempre xampu e condicionador adequado ao seu tipo de cabelo: oleoso, normal, seco, misto, colorido....

  • Não use xampu demais nem o coloque diretamente sobre a cabeça. Espalhe-o nas mãos e só depois esfregue-o nos fios e no couro cabeludo, com a ponta dos dedos (nunca com as unhas). O excesso do produto pode provocar irritação, enfraquecimento da raiz, descamação e até queda.

  • Enxágüe bem os cabelos para retirar o excesso de xampus e condicionadores e use um xampu anti-resíduos uma vez por semana. O produto elimina impurezas e os resíduos de produtos cosméticos que se depositam nos fios, roubando o brilho.

  • Nunca tome banho de água quente, pois ela abre as cutículas do fio. Prefira água morna ou fria. Se puder, dê a última enxaguada com água fria. A água fria ajuda a fechar as cutículas e devolve o brilho dos cabelos.

  • Depois de lavar os cabelos, utilize um produto leave-in que intensifica o tratamento dos produtos hidratantes.

  • Antes de usar o secador retirar o excesso de água com uma toalha, apenas espremendo os fios. Depois trabalhe com o secador a uns 15 centímetros dos fios, em temperatura mínima ou média. Produtos específicos para proteger o cabelo do calor também ajudam evitar que os fios fiquem quebradiços.

  • Evite ar condicionado, pois deixa o cabelo ressecado e, conseqüentemente, mais frágil, retirando o brilho natural. Para formar uma barreira de proteção aos fios, aplique algumas gotinhas de silicone que ajuda também a selar as pontas duplas.

  • Evite passar as mãos nos cabelos constantemente, principalmente nos oleosos.

  • A alimentação é um fator muito importante para manter a beleza dos fios. Procure comer alimentos protéicos

  • Proteja os cabelos do sol. Use chapéu e mantenha-os hidratados.